23 janeiro, 2015

...Return...

Farto de andar em silêncio? Talvez um bocado, revolta-me que as pessoas que conheço e me são próximas ("cambalachos" e amigos coloridos) promovam desde Setembro uma suposta ausência laboral ou escolar, quando venho a saber mais cedo ou mais tarde que estavam bem livres e até muito "ocupados". 
Sinceridade acima de tudo, não querem encontrar ou já têm fodas combinadas, não mintam a dizer que vamos encontrar e depois à última da hora desaparecem ou enviam uma pretensa desculpa 2 horas depois.
Entristece-me ver que as amizades que supostamente existiam com alguma cumplicidade, pelos vistos significam zero para muitos gays. (Tou revoltado por dentro, desculpem!!)

Ando numa azáfama relativamente grande cá por casa, o meu irmão vai buscar a mobília que ainda tem lá em casa, no final deste mês. E como um amigo meu que veio de França, pela primeira vez visitar Lisboa a semana passada (andei a fazer de cicerone todas as manhãs e noites), me levou a comprar umas quantas coisas no IKEA, vamos (Eu e o meu colega de casa) retomar as arrumações por casa:P

No meio disto tudo, perdi a minha máquina fotográfica, dentro de um táxi, depois de uma noite de Fados, óbvio que no dia seguinte de manhã quando acordei fui directo à PSP e liguei para a central de táxis e nada feito... era uma vez uma máquina:(((

E para terminar muito bem o último fim de semana, domingo começo muito bem a minha manhã com um telefonema do coordenador da minha piscina a dizer que assaltaram o meu trabalho (levaram uma impressora A3) sexta de noite, depois de eu ter fechado as instalações, usando o código de um colega professor para abrir e o meu para fecharem. Estranho acontecimento sem grandes resoluções até agora.


1 comentário:

N a m o r a d o disse...

Gil percebo a tua desilusão face aos relacionamentos entre as pessoas (esses seres estranhos e mal amados), mas como em tudo na vida, há pessoas que valem a pena, outras não, há pessoas boas e pessoas más. Vamos sempre a tempo de corrigir a nossa trajectória e sempre a tempo de encontrar quem nos mereça. Um forte abraço.